Internet quântica
A construção da rede do futuro já começou

A internet quântica promete desempenhar tarefas inimagináveis para a atual rede mundial de computadores. E isso graças a fenômenos muito estranhos, típicos do diminuto universo dos átomos e de suas partículas. Essa revolução já começou.

No final de 2017, um feito resvalando ficção científica estampou as notícias no mundo todo. Duas academias de ciências, da China e da Áustria, fizeram uma videoconferência conjunta, usando informação criptografada quanticamente.

A menos que um hacker pudesse violar leis da natureza, nem mesmo o uso dos maiores e melhores computadores da atualidade poderia quebrar a segurança dos dados trocados entre as duas instituições.

Esse marco histórico foi mais uma peça de uma revolução científica que começou no início do século passado, com o desenvolvimento da mecânica quântica, teoria que lida com os fenômenos do diminuto universo atômico e subatômico. E essa revolução promete um século 21 com avanços tecnológicos há pouco inimagináveis.

Fenômenos quânticos – já batizados ‘chocantes’ ou ‘fantasmagóricos’, por contrariarem o senso comum – tornaram-se hoje recursos valiosos no processamento de informação. Volumosos investimentos governamentais e privados estão ajudando a moldar, com base em tecnologias derivadas dos fenômenos quânticos, uma nova rede global de comunicação.

Em um futuro breve, com a chamada internet quântica, conceitos como teleporte e criptografia quânticos deixarão de ser pura abstração e se tornarão regra para a manipulação e transmissão de informação de forma 100% segura.

Rafael Chaves
Instituto Internacional de Física,
Universidade Federal do Rio Grande do Norte

Samuraí Brito
Grupo de Tecnologias Emergentes,
Itaú Unibanco

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat