Novo horizonte para supercondutores

Este ano, os físicos chegaram a um recorde surpreendente na área de supercondutividade. O fenômeno – no qual eletricidade é conduzida sem perda de energia – foi obtido a 15 graus celsius! Mas isso teve um preço tecnológico. 

No início do século passado, muitos fenômenos então recém-descobertos desafiavam nossa compreensão. Entre eles, estava um que até hoje nos surpreende: a supercondutividade, a qual tem inúmeras aplicações tecnológicas.

A supercondutividade foi descoberta por Heike Kamerlingh Onnes (1853-1926) em 1911, em Leiden (Holanda). Três anos antes, esse físico holandês havia conseguido pela primeira vez liquefazer o hélio, atingindo a temperatura de 4,2 kelvin (K), ou seja, 268 graus celsius negativos. A partir disso, começou a estudar a resistência elétrica dos materiais.

Adilson de Oliveira

Departamento de Física,
Universidade Federal de São Carlos (SP)

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-27650
614_256 att-50899
614_256 att-50940
614_256 att-50849
614_256 att-50840
614_256 att-50832
614_256 att-50813
614_256 att-50822
614_256 att-50799
614_256 att-50806
614_256 att-50791
614_256 att-50910
614_256 att-50759
614_256 att-50647
614_256 att-50703

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-85936
725_480 att-85755
725_480 att-84894
725_480 att-84554
725_480 att-84261
725_480 att-83905
725_480 att-83605
725_480 att-83095
725_480 att-82636
725_480 att-82173
725_480 att-81539
725_480 att-80949
725_480 att-80355
725_480 att-79782
725_480 att-79523