Instituto de Física
Universidade Federal Fluminense

Por que sempre é possível apoiar um poliedro convexo em uma de suas faces sobre uma mesa de modo que ele não tombe? E por que ele tomba se apoiado sobre um de seus vértices? Haveria um poliedro que tombasse indefinidamente? Será que a intuição da física pode nos ajudar a resolver esse problema geométrico?

ILUSTRAÇÃO ADOBE STOCK

Muitas das ideias da matemática – como números naturais, comprimentos, formas etc. – têm origem em nossas experiências do dia a dia. E, no passado (passado mesmo, desde os antigos gregos), física e matemática andavam tão próximas que eram quase indistinguíveis.

Com o tempo, as disciplinas se especializaram e se distanciaram. A matemática, por exemplo,  além de ser uma ferramenta da física, tem vida própria. Mas é surpreendente (e muito agradável) ver que há problemas e resultados matemáticos que podem ser deduzidos a partir de argumentos físicos – escuto alguém dizer “parece que o jogo virou”? Vejamos um exemplo.

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Outros conteúdos desta edição

725_480 att-78924
725_480 att-78884
725_480 att-78680
725_480 att-78625
725_480 att-78617
725_480 att-78558
725_480 att-78794
725_480 att-78705
725_480 att-78562
725_480 att-78801
725_480 att-78808
725_480 att-74188
725_480 att-78949
725_480 att-78545
725_480 att-78535

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-79767
725_480 att-79493
725_480 att-78394
725_480 att-77802
725_480 att-76487
614_256 att-74178
614_256 att-74280
614_256 att-69551
614_256 att-72788
614_256 att-73412
614_256 att-72023
614_256 att-72261
614_256 att-71188
614_256 att-66772
614_256 att-57222