Desigualdade: o ‘vírus’ mais letal

Pesquisa com trabalhadores de saúde mostra disparidades na contaminação por covid-19 relacionadas a determinantes sociais. Fatores como raça, escolaridade, renda, cargo e tipo de exposição estão significativamente associados à infecção pelo SARS-CoV-2

CRÉDITO: FOTO FERNANDO FRAZÃO/AGÊNCIA BRASIL

Apesar das comprovações científicas, desde a gripe espanhola – pandemia de influenza que afetou cerca de 500 milhões de pessoas de janeiro de 1918 a dezembro de 1920 –, o imaginário comum de que um vírus respiratório acomete democraticamente os indivíduos precisa ser desmistificado. Com a covid-19, não tem sido diferente. Enquanto políticos e mídias sensacionalistas banalizavam a crise humanitária, o vírus acirrava as desigualdades entre países e suas populações.

Roberta Fernandes Correia
Zilton Farias Meira Vasconcelos
Adriana Cesar Bonomo
Wilson Savino
Estratégias de Integração Regional e Nacional,
Fundação Oswaldo Cruz

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Abrir Chat