O antidepressivo que mudou o mundo

Medicamento que foi testado inicialmente para tratar pacientes com tuberculose, iproniazida – ou Prozac, como é mais conhecido – revolucionou a psiquiatria, melhorando o prognóstico de muitas pessoas com transtornos de humor.

Você já teve um dia triste? Muito provavelmente, sim. E o que causou isso? Uma briga familiar? Uma decepção amorosa? Uma nota baixa? Mas, nos dias seguintes, tudo voltou ao normal. Alguns podem sofrer mais, outros menos – é a natureza humana. E parte do que nos faz humanos são as emoções e como lidamos com elas. Mas quando a tristeza é persistente, podemos estar diante de um quadro de depressão.

A depressão é um transtorno mental que afeta mais de 260 milhões de pessoas ao redor do mundo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS). Os sintomas podem variar para cada pessoa, sendo os mais comuns tristeza e abatimento.

 

Mudanças de humor

A busca por um tratamento efetivo contra a depressão começou no outono de 1951, por meio do diretor de pesquisa do Hospital de Rockland, em Nova York (Estados Unidos), Nathan Kline. Sua pesquisa avaliava os efeitos de uma droga chamada iproniazida, posteriormente comercializada como Marsilid®, para tratar, a princípio, pessoas com tuberculose. Médicos observaram que, ao administrarem esse fármaco, os pacientes relatavam um aumento prolongado do humor.

Luiz Hendrix
Instituto D’Or de Pesquisa e Ensino (IDOR)

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat