Talento precoce confirmado e premiado

Definir com segurança a carreira profissional ainda na adolescência é algo raro, mas aconteceu com Alessandra Filardy, imunologista da UFRJ, que, em 2022, foi premiada pela revista Nature por seu trabalho como orientadora

CRÉDITO: FOTO CEDIDA PELA AUTORA

A escolha da profissão aconteceu quando eu ainda cursava o ensino médio. Eu tinha um grande entusiasmo pela biologia, mas a participação de uma professora foi crucial para que eu, com apenas 15 anos, encontrasse a minha verdadeira vocação. Foi Eiler Fritsch Toros, professora do Colégio Pedro II e também do Instituto de Microbiologia Paulo de Góes (IMPG) da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), quem despertou em mim o interesse pela ciência, em especial, pela microbiologia e pela imunologia, quando eu cursava o primeiro ano do ensino médio. A curiosidade pelo mundo microbiano e pela reação do organismo frente aos “invasores” era alimentada pela Dra. Eiler através do empréstimo de livros de biologia celular, histologia e fisiologia, com a recomendação de leitura dos capítulos sobre o sistema imune. Mesmo que ainda complicado para meu entendimento, achava Imunologia fascinante e “cobria” a Dra. Eiler de perguntas ao final de suas aulas.

Alessandra Filardy
Instituto de Microbiologia Paulo de Góes
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Abrir Chat