A inutilidade da literatura

Em tempos tão terríveis, carecemos muito mais da utilidade das coisas inúteis, que só a arte, a natureza e a filosofia podem nos fornecer

O livro Vamos comprar um poeta do escritor português Afonso Cruz – recentemente lançado no Brasil pela Dublinenese – me remeteu à leitura de Utilidade do Inútil, do filósofo italiano Nuccio Ordine, que por sua vez me fez lembrar da cruel fábula de Esopo A cigarra e as formigas, recontada também por La Fontaine e revista por Monteiro Lobato e José Paulo Paz, que resgatam a pobre cigarra e reconhecem o dom que ela tem de alegrar, e, desse modo, suavizar o trabalho árduo das diligentes e egoístas formiguinhas.

Georgina Martins
Curso de Especialização em Literatura Infantil e Juvenil, Faculdade de Letras
Universidade Federal do Rio de Janeiro
Escritora de livros para crianças e jovens

CONTEÚDO EXCLUSIVO PARA ASSINANTES

Para acessar este ou outros conteúdos exclusivos por favor faça Login ou Assine a Ciência Hoje.

Seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Outros conteúdos desta edição

614_256 att-74306
614_256 att-74299
725_480 att-74188
614_256 att-74287
614_256 att-74280
614_256 att-74268
614_256 att-74260
614_256 att-74021
614_256 att-74339
614_256 att-74118
614_256 att-74085
614_256 att-74054
614_256 att-74033
614_256 att-74213
614_256 att-74252

Outros conteúdos nesta categoria

725_480 att-78817
725_480 att-78453
725_480 att-77795
725_480 att-76481
614_256 att-66241
614_256 att-73430
614_256 att-73106
614_256 att-72333
614_256 att-72017
614_256 att-71095
614_256 att-70670
614_256 att-57088
614_256 att-56106
614_256 att-55919
614_256 att-54086