Maria Sybilla e as borboletas

Nascida no século 17, a naturalista e ilustradora científica alemã rompeu os estereótipos das mulheres de seu tempo ao observar, pintar e estudar insetos e plantas, contribuindo de forma original com suas aquarelas para o campo da entomologia e da ecologia.

A naturalista e ilustradora científica alemã Maria Sybilla Merien (1647-1717) foi uma mulher que rompeu barreiras de comportamento e pensamento de sua época. A grande paixão pelas borboletas e seus hábitos, bem como seu talento como gravurista e aquarelista, a impulsionaram a buscar uma vida de estudo, curiosidade, experimentação e grande espírito científico, levando-a a explorar as selvas da América do Sul, atrás de novos e exóticos espécimes de seus insetos favoritos, rompendo com todos os estereótipos esperados para uma mulher de seu tempo.

Por ser a metamorfose das borboletas e mariposas seu maior interesse, este texto é dividido em quatro atos: ovo, larva, crisalida (pupa) e adulto (borboleta). A cada ato, conta-se um pedaço da vida dessa esplêndida mulher, seu talento como artista e o contexto científico e social da época, além das motivações e conclusões a que ela chegou e o quanto contribuiu para o campo da entomologia e ecologia.

Lulu Silva Telles
Roteirista e ceramista

Kita Silva Telles
Designer e artista plástica

Teca Calcagno Galvão
Instituto Oswaldo Cruz
Fundação Oswaldo Cruz

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Abrir Chat