Reduzir para ver melhor

Quando o propósito é conhecer grandes superfícies, a escala é uma redução da realidade, um elemento fundamental na interpretação de mapas.

A escala é um dos princípios fundamentais para o uso e compreensão de mapas, que, em grande maioria, representam a realidade a partir de uma redução que deve ser expressa numericamente pela escala. Assim, para fins cartográficos, a escala representa a relação de proporção entre o mundo real e o mapa. E atenção: é válida para todas as unidades, devendo-se apenas ter o cuidado de uniformizar as medidas no terreno e no mapa quando se faz o cálculo.

Mas nem toda escala objetiva a redução. Algumas têm o propósito inverso, o de ampliação. A medicina, por exemplo, é grande usuária de representações que aumentam as dimensões dos elementos de seu interesse, facilitando a realização de medidas e a compreensão de formas de feições muito pequenas.

Quando o objetivo é a compreensão de grandes superfícies, como as terrestres, a escala é, de fato, uma relação de redução da realidade. Mas aí fica uma pergunta: por que não adotar, simplesmente, a escala 1:1, ou seja, sem reduções ou ampliações?

Carla Madureira Cruz
Departamento de Geografia
Instituto de Geociências
Universidade Federal do Rio de Janeiro

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat