Sequências magnéticas

Dando continuidade aos problemas de matemática que se parecem com mágica, apresentamos este mês uma versão mais complexa do truque da coluna passada. Novamente, precisaremos só de um(a) mágico(a) – que pode ser você –, um baralho e uma… vítima. 

Se você gostou da mágica passada… prepare-se. Este mês, trazemos uma versão ainda mais desconcertante daquele truque. Com a palavra, Máximus, o Mágico, acompanhado de Vítor, a vítima. O material é o mesmo: só um baralho completo.

O truque: Máximus prepara o baralho, colocando as cartas sequencialmente, A, 2, 3,…, J, Q, K; A, 2, 3… até o fim. Feito isso, nosso mágico pede a Vítor, a vítima, um número entre 20 e 30. Para efeitos dramáticos, Máximus pode titubear um pouco: “Não, não… Melhor seria entre 22 e 34”. O número exato não é importante.

Marco Moriconi
Instituto de Física,
Universidade Federal Fluminense

Edição Exclusiva para Assinantes

Para acessar, faça login ou assine a Ciência Hoje

Open chat